8 de mai de 2010

Um dia de Banda...


Tenho o maior prazer de dizer a vocês que finalmente temos em mãos o CD Um dia de Banda, uma homenagem a meu falecido pai, o Maestro-compositor Sebastião de Assis Moreira.
Bem ao seu feitio, o CD inclui não só musicas dele mas também composições de músicos que admirava. Com um repertorio variado, mostrando, através dos sons, um ‘arco’ do dia, começando pelo nascer do sol até a noitinha. Músicas de banda (Banda 12 de Março, BHte.) se mesclando a côro, chorinhos (regional de Gabriel Guedes), música para cravo (uma composição minha, Choro para Cravo), terminando com uma típica modinha mineira - da região de Diamantina -, cantada pela família Moreira e vários amigos, além da participação especial de Beto Guedes (vocalize).
A gravação do CD, pesquisas de partituras, arte gráfica e toda a produção se tornaram possíveis graças à Lei de Incentivo à Cultura, do MINC (Gov. Federal) e o patrocínio da COPASA/Governo de Minas. Prova de que a união entre as esferas federais e estaduais pode contribuir, em muito, para nossa Arte, Cultura e Musica. O CD tem distribuição gratuita para as Bandas de Música de Minas Gerais, imprensa e pessoas interessadas, na medida do possível.


Idéia Original, Concepção Artística e Direção Musical
: Vermelho Produção Executiva e Direção Artística: Marco A. R. Alves - Projeto Gráfico: BUMMUB - SP Seleção de Repertório: Sebastião de Assis Moreira e Vermelho.

Mais informações no site: http://www.umdiadebanda.art.br/


Segue um texto escrito pelo Maestro-compositor e jornalista Julio Medaglia, que, ao lado de Rogério Duprat deram notável contribuição à música do Tropicalismo. (*)

Um dia de banda. Um dia feliz.


Mais que qualquer romance, filme ou peça teatral, a música tem a capacidade de passar informações em curtíssimo espaço de tempo e um mínimo de elementos. Ouvir esta gravação, que, praticamente homenageia o mestre Sebastião Moreira, é captar em detalhes o espírito da vida interiorana brasileira tradicional através dos acordes da Banda 12 de Março de Belo Horizonte. Esse som vai fundo no coração e nos traz alegria ainda maior pois não se trata de uma charanga lá dos cafundós, que mesmo assim nos traria lembranças, mas de um dos melhores conjuntos de instrumentos de sopros brasileiro.


Enquanto as bandas das capitais, arrogantemente, ficam tocando repertorio americano de bandas militares ou inadequado à essa formação, este verdadeiro documento histórico nos mostra a verdadeira raiz da velha e boa “banda de música brasileira” através de arranjos autênticos e de qualidade dessa tradição.

Parabéns pela iniciativa e grande qualidade musical.”


Maestro Júlio Medaglia
(*) Autor também do excelente livro “Música, Maestro!” – Do canto gregoriano ao sintetizador. Contém CD com peças dos mais célebres compositores da História Universal da Música
Editora Globo – 2008 – http://www.globolivros.com.br



Vermelho - 14 Bis


Um comentário:

Kellen disse...

Ansiosa ...
trabalho magnifico de Vermelhor

:)