28 de mar de 2010

Adeus ao Gileno Tiso


José Gileno Tiso Veiga - Nasceu em Três Pontas (MG), em 16 de agosto de 1943. É irmão de Wagner Tiso, por meio do qual conheceu Milton Nascimento. Na infância, teve aulas de piano com sua mãe, que era professora de música. Aos 13 anos, ganhou um concurso de hinos promovido pelo Conservatório de Lavras. No final de 1959, mudou-se para Belo Horizonte, onde ficou até janeiro de 1968, tendo tocado no grupo de Pacífico Mascarenhas, o Sambacana. Conheceu a turma do Clube da Esquina no Edifício Levy, onde se encontravam no último andar para tocar juntos. Mudou-se para Alfenas a fim de estudar Odontologia. Trabalhou como dentista em Três Pontas até 1983. Deixou a odontologia e voltou para Belo Horizonte, onde tocou piano de 1984 a 1993 no Bar do Hotel Boulevard. Multinstrumentista, foi professor e diretor do Conservatório de Música Heitor Villa-Lobos da cidade de Três Pontas e participava do Grupo Café com Jazz que era formado por músicos de Três Pontas.

Gliseno faleceu na noite desta quinta-feira (25/03), em Alfenas no Sul de Minas Gerais, estava internado na santa casa desde o últim dia 8.

Gileno, estava sendo tratado de uma cirrose hepática, nasceu e cresceu em Três Pontas e era vizinho de músicos famosos como Milton Nascimento e Silvio Brito.

O corpo foi velado na Câmara de Vereadores de Três Pontas e o enterro aconteceu ainda no período da manhã.

Wagner Tiso deu um depoimento dizendo que o irmão falecido foi seu primeiro ídolo e o grande incentivador para que ele entrasse na carreira musical.

Baixe o Adobe Flash PlayerGileno Tiso morreu de falência múltipla de orgãos.

HINO DO CENTENÁRIO DE TRÊS PONTAS

Música: José Gileno Tiso Veiga
Letra: Francisco Ribeiro Veiga


Três Pontas,
Eu te saúdo
Pelo teu primeiro centenário
Bendizendo o teu passado
Saúdo o teu presente
Neste aniversário

Salve! Salve! Salve!
Três Pontas centenária
Terra brasileira
De um povo varonil
Salve! Salve! Salve!
Cidade hospitaleira
Cheia de encantos mil
Terra do Padre Victor
Rincão do meu Brasil

Três Pontas,
De altiva serra
Oh! Quanta beleza encerra
Lindas praças e jardins
A Igreja majestosa
Os cafezais sem fim.

Três Pontas, 3 de julho de 1957

Homenagem do Fã-Clube Além Paraíso Oficial 14 Bis

Nenhum comentário: